Cultura Japonesa

Ao contrário do que pode parecer a primeira vista, este não é um texto tentando explicar qualquer coisa ou detalhe sobre essa cultura.

Como todos sabem, sou sim um japonês, aqueles que me vêem podem notar pelo meus olhos ou aqueles que não me vêem podem notar pelo meu sobrenome, que é também até o momento o nome deste blog. E como todo japonês que mora na grande cidade de São Paulo, periodicamente (na medida do possível para um estudante), visito o conhecido bairro da Liberdade. Onde a grande concentração de japoneses e outros orientais fazem do bairro um lugar diferente no centro da velha cidade, surgindo lojas especializadas em todo tipo de artigo japonês, como mangás, animes, espadas, bibelôs, comida.

Exatamente em uma dessas idas para lá, mais precisamente no dia de hoje, em visita à tão famosa feirinha tradicional que acontece aos sábados e domingos, vi uma cena realmente impressionante que jamais esperava ver em qualquer outro lugar dessa cidade suja e fétida. Estava calmamente comendo um belo e delicioso tempurá de camarão (invejem-me) quando um canadense do meu lado resolve jogar seu papel no lixo (alguém jogar lixo no lixo já ótima coisa em São Paulo), então, como se o cara infringisse alguma lei sagrada, a japonesa da barraca e algumas outras por ali começam a berrar: “não, não. Não joga isso ai.”.

O cara, que não falava português, para e olhando assustado para o seu amigo intérprete e depois para a mulher na barraca aos berros faz sinal de que realmente não entendia absolutamente nada do que diziam ali. O intérprete tenta entender por que a mulher não estaria deixando seu amigo jogar o lixo no lixo, quando ela diz: “latinha ai não, jogue a latinha no saco de latinhas”. Nesse momento tudo fica muito claro e o intérprete traduz tudo imediatamente para o canadense, que logo pergunta: “where can I drop paper?”. Ele, naturalmente, joga o papel sujo no lixo orgânico como se deve e a latinha no tal saco para latinhas.

Então, estava tudo resolvido, solução quase brilhante para o meio ambiente. Aquela mulher agradece o canadense por ter jogado a lata no lugar certo e sorri, recebendo como retribuição um sorriso dele também. Eu também sorri nisso tudo.

Aquela senhora provou que temos obrigações, mas geralmente elas estão muito mais além que fazer sua parte e somente sua parte. Precisamos convencer os outros a fazer a coisa certa, mesmo que essas pessoas não entendam seu idioma.

Mais tarde, vi um cara dentro do trem da linha Brás – Calmon Viana jogou uma latinha pela janela. Nem no lixo aquele ser teve coragem de jogar. Talvez, com isso esteja claro alguns legados japoneses como a não miscigenação. Também deve estar claro meu orgulho em possuir uma descendência do sol nascente. Acho que os brasileiros têm muitas coisas ainda a aprender.

Fernando HATTORI

Anúncios

9 pensamentos sobre “Cultura Japonesa

  1. Adorei o começo do seu texto Fefo..
    acho otimo quando as pessoas tem consciencia e cuidam do meio ambiente…
    cuidam de verdade..

    já o seu infeliz final….
    o que tenho a te dizer é que …
    vc está errado….e jah deve ter percebido isso…
    e digo mais vc deve ter escrito o final somente como uma provocação..
    bom japinha…
    desculpe…mas naum foi bom..

    há muitos brasileiro que carregam uma carga enorme de consciencia ambiental…assim como ha muito japinhas imundinhos…

    vc sabe neh…

    beijos..
    e viva a mistura brasileira…

  2. Eu não disse todos os brasileiros. Eu não disse todos os japoneses.
    E digo mais: não escrevi como provocação.
    Sou brasileiro, apesar de ter me excluído disso no texto.

    Quase nenhuma feira livre em São Paulo possui grandes cestos de lixo para que as pessoas joguem fora qualquer tipo de coisa que não lhe seja mais útil e que elas consideram, então, lixo. Imagine com separação de alumínio.

    Fui preconceituoso? Provavelmente. Sei que ótimos brasileiros fazem ótimos trabalhos em relação a essas questões ambientais, mas creio muito em uma diferença cultural grande demais, que leva São Paulo a ser fétida como é e Tokyo nem tanto, como qualquer parente meu já observou e relatou. (obs.: Tokyo é menor que São Paulo, mas é muito mais densa populacionalmente)

    Just some little good ideas.

  3. Fefuuuuu!
    Nossa, tempura de camarããão, fiquei com vontade agora hehehe.
    Achei super legall esse texto. Mesmo sendo línguas totalmente deferentes, teve um respeito a natureza …. =)

    Eu acho que assim…Os japoneses têm uma cultura diferente, e com isso eles respeitam muitas coisas( exemplo o que você falou), mas os europeus também são assim, e jogam lixo nos lugares certos.
    Mas, o Japão é um dos países que mais polui a natureza, não em questão de jogar lixo no chão ..mais sim em CO2 e td mais…
    Realmente existem muitos brasileiros que não respeitam a natureza =/…mais também tem uma parte que é ambientalista, não é a maioria, mais é grande.
    hoje mesmo vi um homem jogando lixo pela janela do carro….
    beijoos, saudadesss =)

  4. Hum… Não sei se esse era um texto sobre o meio ambiente, ou sobre herança cultural… Acho que ambos. Enfim, generalizações não fazem bem. Acho legal ter minha ascendencia japonesa, mas até aí, sou brasileiro também. E não estou, infelizmente, com paciência para fazer um comentário mais esperto que este, foi malz.

    o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s