Rebirth — Corpo

Vi esses dias na calçada um corpo morto, sem vida, um defunto. Acho que é bastante óbvio que várias outras pessoas o viram também, mas nenhuma deu a importância necessária ou pelo menos importância suficiente para ao menos retirá-lo dali. Somente desviaram e continuaram seu próprio caminho atrás de seus próprios objetivos.

Logo lembrei, é claro, de uma obra de  algum bom e grande cronista que algum dia li. Mas não lembro agora o nome do autor nem obra. Ficarei devendo essa para os leitores. Devendo para o resto da eternidade é claro.

Parei por alguns instantes e observei como ele estava morto, com os membro e a barriga para cima, acho que não senti dó, talvez um pouco de nojo. Acho que é porque não o conhecia. Como ninguém agia, resolvi eu mesmo tomar uma decisão e efetuá-la, simplesmente me levantei de novo (pois estava agachado bem próximo do corpo) e chutei aquela barata para a sarjeta, onde ela teria o funeral que merece: levada pela primeria chuva.

Anúncios

Um pensamento sobre “Rebirth — Corpo

  1. Po, que vergonha… Fico feliz com uma possível volta de seus texto, mas repostar?

    Heheh, brincadeira. Espero que você continue com seus posts.

    o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s